Irmão

Nessa vida você terá de tudo e perderá de tudo. Terá grandes amores, e irá perdê-los. Terá grandes amigos e eles irão embora. Até mesmo alguns familiares se vão. Alguns morrem antes que você se torne adulto, outros somem. Mas existe alguém que irá te acompanhar pra toda a vida e certamente será sua única ponte de apoio: Seus irmãos.

Irmão é o melhor presente que seus pais podem deixar, a melhor herança. É como se no fundo eles pensassem: “Amo demais meu filho, não vou deixá-lo sozinho”. Os pais se vão antes, segunda a lei natural da vida. É aí que você percebe o valor de um irmão, de sangue, que não importa o que acontece, isso não muda: Vocês saíram do mesmo ventre.

Na vida eu tenho três grandes riquezas que se chamam Jean, Gisa e Alan. Três grandes presentes que ganhei. Os dois primeiros é o que chamam de “meio irmãos”. São filhos do primeiro casamento da minha mãe, mas pra mim, são “irmãos inteiros”. O segundo é a meu maior laço na terra. O único que além de mim carrega em suas veias o sangue do meu falecido pai.

Ambos são diferentes, ambos me tratam diferentes e ambos tem algo que eu prezo muito. Jean é o mais cabeça que tenta ser um paizão. Gisa é a conselheira que não sai do seu pé. Alan é o cabeça avoada e meu guarda costas pessoal. Amo os três de uma maneira indescritível, mas é preciso dizer que tenho um carinho especial para o meu irmão caçula, o Alan.

Alan é o tipo cara que tem o coração 100% puro. É amigo e companheiro. Não é muito de falar de sentimentos, é meio retraído, bem diferente de mim que me escabelo todo igual uma criança querendo doce. Ouço muita gente dizendo que ele puxou a personalidade pacata de meu pai… 

Quando eu penso que sou o filho mais apegado a minha mãe, percebo que ele é pior. É o tipo fortão de casco grosso, mas por dentro uma criança. E é por isso que eu tenho esse carinho especial, quero protegê-lo. Pode-se dizer que ele é cabeça dura e não me ouve. É daqueles que escuta um conselho de bêbado, mas não de um irmão.

Normal. Mas é pra isso que existem os irmãos: Pra quando ele perceber que o conselho do amigo do bar não deu certo, a gente estar aqui pra apoiar e ajudar. Ele, assim como eu, faz muita bobagem. Mas eu nunca aceitei que dessem de dedo na minha cara e me julguassem. E o mesmo não admito que aconteça com ele. Ninguém é bom samaritano o suficiente pra dizer onde ele errou e muito menos vai lá consolar quando está na merda.

Porque? Porque errar é normal, todo mundo erra e vai morrer errando. E eu não o condeno por errar. E espero que ele ainda erre muito, só assim ele vai aprender algumas coisas na vida. Coisas que não importa o quanto os seus irmãos e mãe tentem mostrar, ele vai aprender por si só.

Eu, amando esse babaca como amo, só posso garantir que não importa o lado que ele escolha. O certo, errado. O vitorioso ou o do fracasso. Eu vou estar lá por ele. Vou estar pra dar os parabéns ou apoiar. E é isso que importa. 

Não temos pai, mas temos um ao outro. Pra sempre. E irmão é eterno.

  1. etristemorarsozinho posted this